logo-site

Temperatura mínima na capital mineira foi de 8,9 graus. Durante o dia, os termômetros não devem ultrapassar 19 graus

Belo Horizonte registra mais uma manhã fria nesta quarta-feira.
A sensação térmica nas Regiões Oeste e Centro-Sul foi de -3 graus, conforme registrado na Estação Cercadinho, do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet).
Contudo, diferentemente do ocorrido na segunda e terça-feira, não houve recorde de baixa temperatura, segundo o PucMinas/TempoClima. Os termômetros marcaram 8,9 graus na capiral mineira.

Não há previsão de chuva e o céu permanecerá nubladodurante todo o dia. A temperatura máxima em BH deverá ficar em 19 graus e a umidade relativa do ar, em 40%.

De acordo com o metereologista Heriberto dos Anjos, “houve aumento de nebulosidade nesta quarta-feira, que provocou nevoeiro em algumas regiões de BH no início da manhã e ligeiro aumento das temperaturas”.
No interior, os municípios de Maria da Fé e Monte Verde, no Sul do estado, registraram a temperatura mais baixa de Minas Gerais nesta quarta-feira, com termômetros marcando 0.8 graus. Há possibilidade de geadas na Região Sul, segundo o PucMinas/TempoClima.
Nas Regiões Norte, Leste e Noroeste, o clima está mais seco e, no período da tarde, a temperatura deve seguir elevada com termômetros marcando 29 graus.
*Estado de Minas
Gostou do Post? Compartilhe:

Centroavante fez dois gols e meia marcou um no triunfo do Galo de virada, por 3 a 1, no Independência. Raposa, por sua vez, segue instável na competição

O centroavante Fred e o meia Cazares foram os protagonistas do 500º clássico entre Atlético e Cruzeiro, que foi disputado neste domingo, no Independência, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de começar de maneira apagada, a dupla acordou a partir de 30 minutos da etapa inicial e deu show diante da maioria alvinegra nas cadeiras do estádio. Enquanto o armador equatoriano balançou a rede em cobrança de falta, o camisa 9 deu uma aula de posicionamento ao se livrar dos defensores celestes e fazer dois gols sem nenhuma marcação, sendo um com assistência de Cazares. A Raposa, que dominou o primeiro terço do confronto e caiu significativamente de produção no restante do embate, anotou seu tento com Thiago Neves.

O resultado de 3 a 1 fez o Atlético dar grande salto na classificação: saiu do 14º lugar e assumiu a sétima colocação provisória, com 16 pontos. Nesta segunda-feira, o time cairá para oitavo, pois Fluminense e Chapecoense se enfrentam no Giulite Coutinho, às 20h, e um desses clubes ganhará a posição do alvinegro indepenentemente do resultado do jogo (veja como está a tabela do Campeonato Brasileiro).

Já o Cruzeiro desceu do 10º para o 13º lugar, com 14 pontos, e continuou instável no Campeonato Brasileiro. A equipe de Mano Menezes, que começou bem o Brasileiro e chegou a figurar no G4 nas três primeiras rodadas, amarga o quinto revés e fica cada vez mais distante da primeira metade da tabela. A distância para o São Paulo, primeiro da zona de rebaixamento, é de apenas três pontos.

Os dois clubes voltam a campo pelo Brasileirão no próximo domingo, às 16h, pela 12ª rodada. O Galo visita o Botafogo no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, e o Cruzeiro recebe o Palmeiras, no Mineirão. No meio da semana, o Atlético viajará para a Bolívia, onde enfrenta o Jorge Wilstermann na quarta-feira, às 21h45, no Estádio Felix Capriles, em Cochabamba. Esse compromisso valerá pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa Libertadores.

O jogo
Quando a bola rolou no Independência e as equipes ainda começavam a esquentar, o Atlético perdeu sua principal referência no setor defensivo. Leonardo Silva sentiu fisgada na coxa direita e precisou ser substituído. Bremer, de 20 anos, foi o escolhido por Roger Machado para entrar no clássico. O Cruzeiro, claro, aproveitou-se da situação. Pelo lado esquerdo, onde concentrou seus ataques, o clube celeste achou o mapa da mina. Aos 5min, Alisson partiu para cima de Alex Silva, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. Como Bremer não conseguiu fazer o corte, Thiago Neves chegou com tudo na pequena área e bateu firme para as redes. Victor até tocou na bola, mas não conseguiu defender: 1 a 0.
O gol aumentou ainda mais a empolgação cruzeirense. O time de Mano Menezes manteve a posse de bola e colocou o rival na roda. Thiago Neves, aos 8min, experimentou em cobrança de falta de longa distância e obrigou Victor a trabalhar. Lucas Romero, aos 9min, também arriscou de fora da área. Aos 17min foi a vez do zagueiro Kunty Caicedo curtir a sensação de finalizar a gol. A bola, contudo, passou à direita de Victor. Aos 23min, Gabriel quase marcou contra o próprio patrimônio ao tentar afastar o passe do cruzeirense Robinho. Para alívio alvinegro, a redonda tocou no travessão e saiu em direção à linha de fundo.
Depois de amplo domínio, o Cruzeiro caiu no sono. O Atlético, por sua vez, resolveu acordar e passou a controlar as ações. Aos 28min, Cazares bateu da entrada da área e acertou o braço direito de Diogo Barbosa, porém o árbitro Anderson Daronco não assinalou pênalti. Fred, aos 37min, quase marcou de peixinho. Aos 39min, uma discussão generalizada entre os atletas paralisou a partida por alguns minutos. Assim que os ânimos se acalmaram, o Galo voltou ainda mais forte e criou quatro chances. Duas delas ganharam as redes. Na primeira, aos 47min, Cazares cobrou falta com perfeição, e Fábio – estático – observou a bola entrar: 1 a 1. Na segunda, aos 49min, Alex Silva ganhou de Diogo Barbosa na linha de fundo e rolou para trás. Fred, praticamente sozinho, teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o gol: 2 a 1.
Se no primeiro tempo o clássico foi aberto e com boas oportunidades para ambos os lados, a etapa final começou truncada e com divididas ríspidas. Por estar à frente no placar, o Atlético recuou suas linhas e passou a esperar o Cruzeiro, que, por sua vez, sentiu dificuldades em função da marcação do adversário. Na bola parada, o Galo teve duas chances, ambas com Cazares, enquanto a Raposa tentou em chute de Thiago Neves.
Depois de mais de 20 minutos sem emoção, o Independência voltou a explodir de alegria aos 34 minutos. Cazares atacou pelo lado direito, passou facilmente por Leo e cruzou para Fred, que se posicionou de modo que não fosse atrapalhado por Caicedo e Ezequiel e cabeceou no contrapé do goleiro Fábio: 3 a 1. Na reta final do jogo, o Independência sofreu apagão geral e os refletores do estádio ficaram desligados por 14 minutos. Sanado o problema, o Atlético bloqueou qualquer tipo de reação do Cruzeiro, confirmou a ascensão no Brasileiro e complicou a campanha do rival.
ATLÉTICO 3X1 CRUZEIRO
ATLÉTICO
Victor; Alex Silva, Leonardo Silva (Bremer, aos 4min do 1ºT), Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo, Yago (Adílson, aos 32min do 2ºT), Elias e Cazares; Robinho e Fred (Rafael Moura, aos 35min do 2ºT)
Técnico: Roger Machado
CRUZEIRO
Fábio; Ezequiel, Caicedo, Leo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho (Elber, aos 24min do 2ºT) e Thiago Neves; Alisson (Sassá, aos 35min do 2ºT) e Rafael Sobis (Ramón Ábila, aos 12min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes
Gols: Cazares, aos 47min, Fred, aos 49min do 1ºT e aos 34min do 2ºT (ATL); Thiago Neves, aos 5min do 1ºT (CRU)
Cartões amarelos: Fábio Santos, aos 11min, Robinho, aos 38min, Marlone (reserva), aos 50min do 1ºT. Roger Bernardo, aos 7min do 2ºT (ATL); Ábila (reserva), aos 6min, Rafael Sobis, aos 38min do 1ºT. Ariel Cabral, aos 6min, Caicedo, aos 28min do 2ºT (CRU)
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Independência
Data: domingo, 2 de julho de 2017
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael Alves e Elio Nepomuceno de Andrade (RS)
Assistentes adicionais: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS) e Daniel Nobre Bins (RS)
Pagantes: 17.251
Renda: R$ 569.140,00

Gostou do Post? Compartilhe:

Armador tem aproveitamento superior ao de passagem anterior pelo Coelho

Renan Oliveira tem se mostrado mais produtivo em sua segunda passagem pelo América. Ao menos é o que dizem os números. Autor do primeiro gol da vitória por 3 a 0 sobre o Brasil de Pelotas, neste sábado, no Independência, pela 11ª rodada da Série B, o camisa 23 chegou a cinco tentos pelo clube em 2017 e se isolou na artilharia do elenco. O segundo colocado é Hugo Almeida – atualmente na reserva –, com quatro.

O quinto gol de Renan na temporada foi marcado aos 35 minutos do primeiro tempo. Ele apareceu rente à segunda trave e bateu de primeira, com o pé direito, a bola lançada em escanteio cobrado pelo lateral-esquerdo Pará. Com mais uma bola na rede, o meio-campista chegou ao terceiro tento em nove apresentações na Série B.

Na passagem anterior pelo Coelho, em 2014, Renan disputou 17 partidas e marcou apenas um gol. Sua especialidade na ocasião era servir aos companheiros – ele contribuiu com seis assistências. A equipe, que perdeu seis pontos no STJD por ter escalado de maneira irregular o lateral-esquerdo Eduardo, encerrou o torneio em quinto lugar, com 61 pontos, a um do quarto colocado Avaí.

Em 2017, ao que tudo indica, o América fará boa campanha na Série B e será um dos candidatos ao acesso. A goleada sobre o Brasil de Pelotas foi a terceira vitória seguida dos comandados de Enderson Moreira na competição. De quebra, o clube chegou a cinco partidas de invencibilidade e por isso ocupa o terceiro lugar, com 19 pontos. O líder Juventude soma 22.

Na próxima rodada do certame, o América visitará o Paraná Clube, às 21h30 da próxima sexta-feira, no Estádio Durival Britto, em Curitiba. Os paranistas também postulam a ascensão à elite, pois aparecem em sétimo lugar, com 16 pontos.

*Estado de Minas

Gostou do Post? Compartilhe:

A partir da próxima semana, a unidade de saúde que abrigava o Programa Saúde da Família (PSF) na rua Prof. Max D´Caux, no bairro Bela Vista, funcionará em novo local. Devido à mudança de endereço, os atendimentos estão suspensos desde a quarta-feira (28). O funcionamento voltará ao normal na segunda-feira (3/7), no seguinte endereço: rua Cônego Guilhermino Pereira, 293 – Bela Vista.

Desde a sexta-feira (23), o Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (Capsi) também atua em novo endereço: rua Mestre Emílio, 292 – Centro. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), as mudanças proporcionam economia para os cofres públicos sem prejudicar o atendimento aos usuários.

Gostou do Post? Compartilhe:

Uma resposta rápida da Polícia Militar resultou na prisão dos jovens Clayton Cardoso Dias e Igor Alexandre Wolfgrann de Paulo, ambos 19 anos, e na apreensão de dois adolescentes, um de 16 e outro de 17 anos, suspeitos de terem assaltado, por volta das 19h desta quarta-feira, 28 de junho de 2017, a Loja TIM na Avenida João Pinheiro no Centro de Itabira. Segundo a polícia, os militares conseguiram apreender um revólver e recuperar vários celulares que foram roubados.

De acordo com a Polícia Militar, a Central de Operações (COPOM) recebeu uma denúncia anônima informando que dois indivíduos estavam assaltando a Loja TIM e que outros dois ficaram do lado de fora dando cobertura aos assaltantes. De imediato, várias guarnições foram empenhadas ao local.

Os bandidos foram surpreendidos pela polícia, os que estavam do lado de fora saíram correndo e os que cometiam o assalto foram detidos no interior da loja e tiveram o revólver calibre 38 carregado com quatro munições intactas apreendido.

Os militares em conversa com os dois detidos descobriram que os quatro vieram para Itabira em um Gol que estaria estacionado nas imediações e seria utilizado na fuga após o assalto. Durante rastreamento, os policiais localizaram o VW Gol 1.6, cor prata, placa HNG-1287 de Sabará, estacionado na Rua Dona Modestina, o veículo que foi roubado no dia 23 deste mês no Bairro Santa Inês em Belo Horizonte, foi rebocado para o pátio credenciado onde será feita a perícia técnica da Polícia Civil e posteriormente será restituído ao proprietário.

Ainda em rastreamento, os policiais cercaram toda região da área central e detiveram os outros dois suspeitos, um foi localizado já dentro de táxi na rodoviária e o outro que foi encontrado pelo Soldado Ribeiro do GEPMOR, estava escondido no meio da vegetação de um trevo da Rua João Bragança com a Rua Padre Ângelo no Bairro Pará.

Os detidos afirmaram que são moradores da região do Bairro Capitão Eduardo em Belo Horizonte, nas proximidades da BR-381 na saída para Vitória, que chegaram até Itabira com a ajuda do GPS e nenhum deles conhecia a cidade.

Os 17 aparelhos celulares que foram roubados da loja foram todos recuperados e serão restituídos ao proprietário. Os suspeitos foram encaminhados para a delegacia de Polícia Civil onde foram apresentados ao delegado de plantão.

*itabiranet.com

Gostou do Post? Compartilhe:

Galo precisa abrir vantagem em casa para buscar classificação no duelo de volta, marcado para 26 de julho, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro

O Atlético tem pela frente um adversário duríssimo pelas quartas de final da Copa do Brasil. Os comandados de Roger Machado enfrentam o Botafogo, às 19h30 desta quinta-feira, no Independência, no confronto de ida dessa fase. A equipe carioca é como uma pedra no sapato do Alvinegro em confrontos de mata-mata. Para superar o adversário e se garantir na disputa por uma vaga na grande decisão, o Galo precisa retomar as boas apresentações que a torcida se acostumou a ver no Horto.

O mando de campo historicamente foi aliado do Atlético. No entanto, a equipe tem deixado a desejar nos últimos jogos que fez no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. Em cinco duelos na competição, são duas derrotas, dois empates e apenas uma vitória atuando no Horto. Para avançar na Copa do Brasil, o Galo sabe que tem que fazer valer o fato de jogar o primeiro confronto em casa.

“É uma competição diferente, temos que estar atentos porque qualquer erro é fatal. No Brasileiro, temos a condição de reverter mais na frente. Na Copa do Brasil não é tão fácil. Temos que entrar focados e sabendo que, nesse primeiro jogo, podemos dar um passo importante para a classificação”, apontou Robinho, que irá dividir o setor ofensivo com Cazares, Luan e Fred.

O Galo sempre encontrou dificuldades quando enfrentou o Botafogo pela Copa do Brasil. Em três encontros pela competição, a equipe carioca acabou eliminando o Atlético – nas quartas de final de 2007 e 2008 e nas oitavas em 2013. Para Robinho, o histórico desfavorável não é levado para dentro de campo pelos jogadores.

“Cada jogo é uma história. Se o Botafogo levou vantagem, é porque mereceu e fez algo de bom. Agora vivemos outro momento e esperamos que esse jogo possa ser melhor para o Galo. Temos de entrar focados, sabendo que os números (de retrospecto) não importam. Dentro de campo são 11 contra 11”, disse.

Para o duelo, Roger Machado tem de volta sua dupla de zaga titular, com Leonardo Silva e Gabriel. O desfalque fica por conta da lateral direita. Com Marcos Rocha, Carlos Cesar e Alex Silva no DM, o treinador escolheu o volante Yago para fazer a função. Além do três laterais, Roger não pode contar com Giovanni, Felipe Santana, Erazo, Jesiel, Rodrigão e Lucas Cândido, todos também em recuperação de contusões. O comandante alvinegro ainda não tem as opções Valdívia, Marlone e Roger Bernardo. Esses reforços chegaram ao clube com as inscrições na Copa do Brasil já encerradas.

Botafogo em situação semelhante

Assim como o Atlético, o Botafogo vem de um trauma jogando em casa. No Nilton Santos, na última rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe carioca foi derrotada por 2 a 0 para o então lanterna Avaí. Agora, o clube da estrela solitária busca retomar o desempenho em mata-mata, como apresentado na Libertadores, para a Copa do Brasil. Para o primeiro duelo, o treinador botafoguense pediu que o time busque marcar gols na casa do adversário para levar um bom resultado para a volta, dia 26 de julho, no Rio de Janeiro.

“Temos que fazer um bom jogo, buscar gols, pois é importante para o regulamento, e conquistar um resultado que nos dê condições de fazermos uma partida mais tranquila na volta, no Rio de Janeiro”, disse Ventura.

ATLÉTICO x BOTAFOGO

Atlético
Victor; Yago, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Cazares e Luan; Robinho e Fred
Técnico: Roger Machado

Botafogo
Gatito Fernández, Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Víctor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, João Paulo e Camilo; Rodrigo Pimpão e Roger
Técnico: Jair Ventura

Motivo: jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data e hora: quinta-feira, 29 de junho de 2017, às 19h30

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Bruno Boschilia (Fifa-PR)

*Estado de Minas

Gostou do Post? Compartilhe:

Time de Mano Menezes faz primeiro tempo perfeito, abre 3 a 0 no marcador, mas sofre com erros infantis na segunda etapa e leva empate do Palmeiras

Os primeiros 45 minutos do Cruzeiro no Allianz Parque, nesta quarta-feira, talvez tenham sido os melhores do time de Mano Menezes na temporada. Organizado, criativo e muito lúcido, abriu impressionantes 3 a 0 no placar do jogo contra o Palmeiras, válido pela ida das quartas de final da Copa do Brasil. Na volta do intervalo, porém, foi justamente o contrário. Com falhas defensivas infantis, principalmente da dupla de zaga, o time assistiu ao alviverde controlar as ações de ataque e empatar ainda aos 19′ da etapa final. Com o 3 a 3 no marcador, o sabor amargo de uma partida de tempos distintos, apesar da vantagem mínima, ficou para os cruzeirenses.

O jogo de volta entre Cruzeiro e Palmeiras está marcado para 26 de julho, às 21h45. Com o resultado no Allianz Parque, a Raposa pode empatar por até dois gols no Mineirão que estará classificada para as quartas de final da Copa do Brasil. O time que avançar encontrará nas semifinais o vencedor do confronto entre Grêmio e Atlético-PR – no primeiro duelo, o Tricolor venceu por 4 a 0. Botafogo, Santos, Flamengo e Atlético são os outros clubes que seguem no torneio.

Após o duelo em São Paulo, o Cruzeiro volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro e para o arquirrival Atlético. O clássico do próximo domingo, dia 2 de julho, válido pela 11ª rodada da competição, está marcado para as 16h, no Independência. O Palmeiras, por sua vez, recebe o vice-líder Grêmio, sábado, no Pacaembu.
Primeiro tempo
A rapidez marcou o começo do duelo entre Palmeiras e Cruzeiro no Allianz Parque. Tão logo o árbitro Jailson Macedo Freitas apitou o início da partida, o mandante saiu em velocidade. Velho conhecido do torcedor celeste, Willian finalizou bola na rede pelo lado de fora do gol de Fábio. Organizado, atento aos desarmes e com as três linhas muito próximas, o time de Mano Menezes não demorou a responder. E já com gol. Aos 6’, Alisson partiu em velocidade, encontrou Diogo Barbosa e o lateral-esquerdo voltou a servir Thiago Neves – como no jogo contra Coritiba. Sozinho, de frente para Fernando Prass, o camisa 30 marcou seu 9º gol pelo Cruzeiro: 1 a 0.
O tento marcado nos instantes iniciais do jogo não mudou as estratégias de Palmeiras e Cruzeiro. Enquanto o time de Cuca seguiu atacando a qualquer custo e sem eficiência, a equipe de Mano se concentrava na marcação e aproveitava os espaços dados pelo alviverde para assustar. O plano funcionou. Aos 19’, de forma letal, a Raposa ampliou o marcador. Sobis deu excelente passe para Lucas Romero, o volante foi à linha de fundo e serviu Robinho na área. Aplicando a ‘lei do ex’, o meio-campista marcou o 100º gol de sua carreira. 2 a 0.
Absolutamente eficiente, em noite até então quase perfeita, o Cruzeiro voltou a calar o Allianz Parque dez minutos depois. Lúcido e dono das melhores tomadas de decisões do jogo, Thiago Neves encontrou Alisson em velocidade, nas costas de Fabiano. O jovem atacante, de 24 anos, que renovou contrato com a Raposa por mais quatro temporadas nesta quarta-feira, mostrou frieza de atacante para finalizar por cima de Prass. 3 a 0. Na saída para o intervalo, clima de felicidade e certa surpresa entre os cruzeirenses. “Não esperávamos o domínio. A gente sabe a dificuldade de jogar aqui, mas sabíamos que teríamos oportunidades”, disse Robinho.
Segundo tempo
O jogo não perdeu sua característica de velocidade. Intenso atrás de diminuir o estrago, o Palmeiras voltou com o Borja na vaga de Guerra e viu funcionar uma substituição feita em função de lesão. O colombiano enfiou a bola para Dudu, que fez o pivô para Zé Robero. O experiente lateral errou o chute, mas a bola ainda sobrou para Dudu, que voltou a fazer valer a lei do ex, diminuindo o placar. 3 a 1. O gol deu ânimo ao Palmeiras, que partiu em busca do resultado.
Com ‘organização’ defensiva completamente diferente da primeira etapa, sentindo falta de Lucas Romero e com erros individuais da dupla de zagueiros, o Cruzeiro se mostrou entregue. Aos 15’, depois de disputa pelo alto na zaga, Dudu diminuiu ainda mais o placar. 3 a 2. No abafa, o time de Cuca conseguiu o empate quatro minutos depois, em nova oportunidade na sobra, desta vez em posição duvidosa. Willian, aquele, também fez valer a lei do ex3 a 3.

O empate acalmou os ânimos no Allianz Parque. Enquanto o Palmeiras diminuiu o ímpeto ofensivo, o Cruzeiro equilibrou as ações, mesmo sem mostrar qualquer poder de fogo com Ramón Ábila no comando de ataque. O argentino foi quase uma peça a menos na formação cruzeirense no período em que esteve em campo. Quando recebeu livre, aos 42’, desperdiçou chance clara. O placar final acabou com sabor amargo para os cruzeirenses que, apesar da vantagem mínima no chaveamento, buscaram um bom resultado fora de casa.
PALMEIRAS 3X3 CRUZEIRO
Palmeiras
Fernando Prass; Fabiano (Egídio), Yerry Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Thiago Santos e Tchê Tchê; Guerra (Borja), Dudu e Roger Guedes (Keno); Willian. Técnico: Cuca
Cruzeiro
Fábio; Ezequiel, Leo, Kunty Caicedo e Diogo Barbosa; Lucas Romero (Hudson), Ariel Cabral, Robinho (Ramón Ábila) e Thiago Neves; Alisson e Rafael Sobis. Técnico: Mano Menezes
Gols: Thiago Neves (aos 6’1ºT), Robinho (aos 19’1ºT), Alisson (aos 30’1ºT), Dudu (aos 6 e aos 15’ do 2ºT), Willian (aos 19’2ºT)
Cartões amarelos: Lucas Romero, Rafael Sobis, Hudson, Ramón Ábila (Cruzeiro); Thiago Santos (Palmeiras)
Público: 32.067 pagantes
Renda: R$ 1.996.242,72
Motivo: jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data e horário: 28 de junho de 2017 (quarta-feira), às 21h45
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
*Estado de Minas

 

Gostou do Post? Compartilhe:

Foi convocada uma sessão extraordinária para 10h desta sexta-feira (29) para votação em plenário do projeto que muda a CLT ( Consolidação das Leis do Trabalho)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou n o final da noite desta quarta (28), por 16 votos a favor, 9 contrários e 1 abstenção, o relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) favorável à reforma trabalhista. Os senadores também rejeitaram todas as sujestões de emendas que foram destacadas para serem analisadas separadamente.

Sob protestos da oposição, a comissão aprovou o regime de urgência para o projeto ir para plenário. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), já comunicou que pautará a matéria imediatamente. Assim, ela poderá ser analisada já na sessão extraordinária convocada para as 10h desta sexta-feira (29) ou ficar para a próxima terça-feira (4), caso não haja quórum nesta quinta-feira.

Os debates sobre a reforma na comissão começaram pouco depois das 10h com a leitura dos seis votos em separado apresentados pelos senadores Paulo Paim (PT-RS), Eduardo Braga (PMDB-AM), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Lasier Martins (PSD-RS), Lídice da Mata (PSB-BA) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).
Saiba Mais

A leitura dos votos foi concluída às 16h30, quando os senadores começaram a fase de discussão da proposta. Mais de 12 horas após o início da sessão, o texto-base de Jucá foi votado e aprovado, sob protestos da oposição.

Para garantir a aprovação, o presidente Michel Temer encaminhou aos senadores uma carta na qual reafirmou seu compromisso de vetar seis pontos acordados previamente por Jucá com os senadores da base aliada. A regulamentação desses pontos será feita posteriormente por meio de medida provisória.

Entre os vetos sugeridos está o tratamento da gestante e do lactante em ambiente insalubre. O texto prevê que a trabalhadora gestante deverá ser afastada automaticamente, durante toda a gestação, apenas das atividades consideradas insalubres em grau máximo. Para atividades insalubres de graus médio ou mínimo, a trabalhadora só será afastada a pedido médico.

Outra sugestão é vetar a alteração que permite que o acordo individual estabeleça a chamada jornada 12 por 36, na qual o empregado trabalha 12 horas seguidas e descansa as 36 seguintes.  Em relação ao trabalho intermitente, foi recomendado veto aos dispositivos que regulamentam a prática na qual a prestação de serviços não é contínua, embora com subordinação. Nesse tipo de trabalho, são alternados períodos de prestação de serviços e de inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador.

Se os senadores aprovarem emendas ao texto da reforma, ela precisará retornar para última análise da Câmara, que poderão manter o projeto conforme enviado pelo Senado ou retomar integral ou parcialmente a proposta dos deputados. Para evitar esse processo, que postergaria a reforma, o governo busca o acordo para que a matéria seja aprovada sem alterações. (Com Agência Brasil)

*Estado Minas

Gostou do Post? Compartilhe:

Município integra Conselho Gestor do Parque da Serra do Gandarela, buscando equilíbrio entre diversificação econômica e preservação ambiental. Este território atrai interesses e investimentos da Vale

O Parque Nacional da Serra do Gandarela garantirá preservação ambiental e possibilitará o desenvolvimento sustentável. O Conselho empossado hoje (27) pelo chefe do Parque, Tarcísio Nunes, tem a participação de entidades representativas, sociedade civil, poder público e empresas. Santa Bárbara tem parcela significativa do seu território nesta região, local onde a Vale também é proprietária de terras e deseja a implantação do Projeto Apolo, para exploração do minério de ferro. Neste contexto, o Município quer ser porta de entrada para o desenvolvimento.

 Tarcísio Nunes parabenizou a todos os conselheiros, dizendo que cada um carrega um pouco da história de criação do Parque. Na oportunidade, o prefeito anfitrião, Leris Braga, ofertou um espaço no Município para sediar o Conselho. “Santa Bárbara está de portas abertas, com sede estruturada para receber o Conselho”, enfatizou.

Neste contexto, o chefe do executivo falou da importância do equilíbrio nas decisões, visto que, estas, irão determinar o futuro de muitas pessoas e territórios. Para ele, é necessário pensar no ecossistema e entender a responsabilidade que lidar com isto representa para o futuro das próximas gerações. Leris disse que é importante investir nas discussões e se comprometeu, em nome de Santa Bárbara, com o aproveitamento das oportunidades de transformação que o Conselho oferece.

De acordo com o chefe do Parque, agora se inicia um novo tempo. Para ele, a expectativa é que o Conselho possa ser um alicerce importante para a gestão do Parque Nacional. Tarcísio Nunes disse esperar que os conselheiros possam articular e dialogar com o setor representado, a fim de contribuir efetivamente com a discussões.

O secretário de Meio Ambiente e Política Urbana, Juliano Xavier, foi empossado como um dos titulares, tendo como suplente o servidor Antônio Moraes, da mesma secretaria. Em sua fala, Juliano endossou um discurso de entendimento e colaboração, a fim de trazer para os municípios participantes desenvolvimento econômico e ambiental.

O chefe substituto do Parque Nacional da Serra do Gandarela, Júlio Botelho, conduziu os trabalhos de apresentação dos conselheiros e sobre o Parque, direcionamentos iniciais e funcionamento do Conselho.

Após uma pausa para almoço, a reunião seguiu até às 17h, com encaminhamentos acerca da elaboração do Regimento Interno, apresentação da Metodologia do Plano de Ação do Conselho, dentre outros informes.

Além de Santa Bárbara, o Parque Nacional da Serra do Gandarela compreende os municípios de Caeté, Itabirito, Mariana, Nova Lima, Ouro Preto, Raposos e Rio Acima, e será administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

*Sitedanana

Gostou do Post? Compartilhe:

O país está entre os escolhidos para a divulgação do álbum ‘El Dorado’

Agora é oficial! O Brasil é um dos escolhidos para a turnê de divulgação do novo álbum de Shakira,intitulado El dorado. O anúncio foi divulgado nesta terça-feira (27), porém, o país deverá receber a cantora somente em 2018. Isto porque a El dorado world tour tem início na Europa e em seguida passa pelos Estados Unidos e, só depois, chega à América Latina.

As vendas para as apresentações na Europa e nos Estados Unidos começam nesta sexta-feira (30). E o primeiro show ocorre em 8 de novembro em Colônia, na Alemanha. Os demais shows ainda não foram divulgados.

Mais sobre El Dorado

Este é o 11º álbum da cantora colombiana e sucede a turnê Sale el sol que passou pelo Brasil em 2011. El dorado foi lançado em maio deste ano e conta com composições em inglês e espanhol.

Uma das canções que compõem o CD é Chantage, hit produzido em parceria com Maluma que já alcançou 1,4 bilhão de visualizações no Youtube. O álbum conta ainda com a participação de Black M, Magic!, Nicky Jam, Carlos Vives e Prince Royce.

Outra canção de sucesso do disco é o single Me enamoré, que relata o início do relacionamento entre a colombiana e o jogador espanhol Gerard Piqué.

*Estado de Minas

Gostou do Post? Compartilhe: